Modificar o tamanho de letra:


Em todo o mundo, igrejas abrirão as portas para atendimento de confissões

“A iniciativa '24 horas para o Senhor', a ser celebrada na sexta-feira e sábado que antecedem o IV Domingo da Quaresma, deve ser incrementada nas dioceses. Muitas pessoas estão se reaproximando do sacramento da Reconciliação e, entre estas, muitos jovens, que nesta experiência muitas vezes reencontram o caminho para voltar para o Senhor, para viver um momento de intensa oração e redescobrir o sentido da própria vida", escreveu o papa Francisco na Bula de convocação do Jubileu da Misericórdia.

A atividade “24 horas para o Senhor” inicia hoje, 4, às 17h, com celebração penitencial, na Basílica de São Pedro, presidida pelo papa.  Em todo o mundo, igrejas abrirão as portas, durante o dia todo, para atendimento de confissões, até o sábado, 5.

Esta é a terceira edição do evento, com proposta de recolocar no centro a importância da oração, da adoração eucarística e o do dom do sacramento da Reconciliação.

Em comunicado, o Pontifício Conselho para a Promoção da Nova Evangelização, responsável pela organização do Jubileu extraordinário da Misericórdia, explicou que a iniciativa “24 horas para o Senhor” representa uma ocasião aberta a todos, “no coração de nossas cidades, para haurir a misericórdia de Deus”.

Ano Jubilar

O lema do Ano Jubilar “Misericordiosos como o Pai” foi precedido por temáticas das edições do evento “24 horas para o Senhor” de 2014 e 2015, respectivamente: “O perdão mais forte do que o pecado” e “Deus, rico de misericórdia”.

O presidente Pontifício Conselho, dom Rino Fisichella, afirmou ser importante ressaltar que “a misericórdia não se reduz ao sacramento da Reconciliação, ela tem um horizonte muito mais amplo, que empenha cada um de nós a tornar-se instrumento da misericórdia para o próximo”.

Na mensagem para a Quaresma 2016, o papa desejou que a atividade aconteça como momento propício para aproximação com a misericórdia divina.

“Seja vivida mais intensamente como tempo forte para celebrar e experimentar a misericórdia de Deus'. Com o apelo à escuta da Palavra de Deus e à iniciativa '24 horas para o Senhor', quis sublinhar a primazia da escuta orante da Palavra, especialmente a palavra profética. Com efeito, a misericórdia de Deus é um anúncio ao mundo; mas cada cristão é chamado a fazer pessoalmente experiência de tal anúncio", disse Francisco.


CNBB com informações da Rádio Vaticano.



Notícias mais acessadas