Organização Pastoral | Conselhos das Pastorais | Movimentos e Associações
Modificar o tamanho de letra:

Pastoral da Criança

Tendo como fundamento o documento da CNBB nº 62 "Missão e ministérios dos cristãos leigos e leigas", no qual traça diretrizes para os leigos participarem, com autêntica inspiração cristã, de toda a missão da Igreja, ou seja, de toda a ação evangelizadora.

O Brasil é um país rico, com tecnologia e recursos suficientes para oferecer vida digna a todos os seus habitantes. No entanto, é um país com sérias desigualdades sociais. Sabe-se que a organização comunitária, a aplicação de medidas simples e a implementação das ações básicas de saúde, podem salvar milhares de crianças brasileiras a cada ano.

Colaboração: Maria de Jesus Ribeiro

 


 

Catequese

A catequese é um dos dois trilhos da vida da Igreja (o outro é a liturgia), sobre os quais, como dormentes, se assentam e estão ligados todos os ministérios, movimentos e pastorais. Catequese boa, paróquia boa! "Ide e ensinai"  foi a última ordem de Jesus a nós, antes de voltar para o Pai (Mt, 28,20). O episcopado brasileiro escreveu, nos  últimos anos, um belíssimo Diretório da Catequese, que foi oficialmente aprovado por Roma.

 

Colaboração: Cínthia Paula Pereira

 


 

Pastoral Familiar

A base de todos os problemas que a sociedade vive, hoje, está na desestruturação da família. Ou salvamos a família, ou nada sobrará após o -tsunami-  do consumismo (comprar por comprar e querer ter tudo o que se vê? entender que a felicidade está em possuir muitas coisas); do liberalismo (cada um faz o que quer e bem entende? inclusive os filhos, que não querem obedecer aos pais!); e do hedonismo (gozar o máximo? hoje? sem conseqüências? pois não sei se estarei vivo amanhã!).

 

Colaboração: Dom João Bosco Óliver de Faria

 


 

Pastoral do Dízimo

"Nesses dias alguém me disse: “Pelo menos a Pastoral do Dízimo tem se mantido firme em nossa Diocese!”. Graças a Deus que algumas plantas criam raízes, crescem e se tornam frondosas! (Cf. Sl 79, 9-10).

Gostaria de afirmar que o dízimo é questão de fé e que só serão capazes de oferecê-lo com alegria aqueles que estiverem evangelizados. Quero ainda lembrar que as CEBs são a melhor madeira de dar aos adultos uma formação religiosa numa catequese permanente.

Progridam no conhecimento de Deus, cresçam na fé, participem bem da Igreja, assumam, seus compromissos de cristãos e verão como “Deus derramará sobre vocês a abundância de suas bênçãos” (Ml 3,10).

Desejo a todos muita a felicidade, dom que só Deus pode dar."   (Dom José Maria Maimone)

 

Colaboração: Pe. Darlan Aparecido de Fátima Lima

 


 

Pastoral da Juventude

Os jovens são bons, mas estão assustados e temerosos quanto ao próprio futuro. Que profissão escolher? Quais garantias de uma remuneração condigna que lhes permitirá ter sua casa, saúde, escola, lazer e condições para educar bem os seus futuros filhos? Que conhecimentos têm de Jesus Cristo e de Seus ensinamentos? Que atendimentos recebem da Igreja? Que espaços de ação responsável encontram na Igreja, sem serem entendidos e tratados como crianças?

 

Colaboração: Dom João Bosco Óliver de Faria

 


 

Pastoral Social

A Pastoral Social é essa solicitude da Igreja voltada especialmente para a condição sócio-econômica da população. Hoje como ontem, ela se preocupa com as questões relacionadas à saúde, à habitação, ao trabalho, à educação, enfim, às condições reais da existência, à qualidade de vida. "Eu vim para que todos tenham vida e a tenham em abundância" (Jo 10,10).

 

A Pastoral Social integra, junto com outros setores, a dimensão sócio-transformadora da ação evangelizadora da Igreja no Brasil. A partir da expressão acima, entende-se que o Objetivo Geral dessa dimensão seja "contribuir, à luz da Palavra de Deus e da Diretrizes Gerais da CNBB, para a transformação dos corações e das estruturas da sociedade em que vivemos, em vista da construção de uma nova sociedade, o Reino de Deus". A Pastoral Social, por sua vez, tem como objetivo desenvolver atividades concretas que viabilizem essa transformação em situações específicas, tais como o mundo do trabalho, a realidade das ruas, o campo da mobilidade humana, os presídios, as situações de marginalização da mulher, dos trabalhadores rurais, dos pescadores,  e assim por diante.

 

Colaboração: Mons. Geraldo das Graças Borges

 


 

Pastoral da Saúde

A Pastoral da Saúde é fruto de muitos anos de um trabalho humanizador que tem como objetivo proporcionar saúde e dignidade de vida para todos, utilizando como medicamento o Evangelho de Jesus Cristo com ardor missionário, à luz da opção preferencial pelos pobres e enfermos, a serviço da vida.

 

A Pastoral da Saúde é uma organização cívico-religiosa, sem fins lucrativos, de atuação em âmbito nacional e de referência internacional, comprometida em defender, preservar, cuidar, promover e celebrar a vida (ou seja, saúde plena) de todo o povo de Deus, independente de quaisquer fator de exclusão social, inclusive do credo. Com dezenas de milhares de agentes por todo o território nacional, esta pastoral atua em três dimensões: solidária, comunitária e político-institucional.

 

Colaboração: Mons. Geraldo das Graças Borges

 


Pastoral Presbiteral

Zelar pela vida e ministério dos presbíteros da Arquidiocese de Diamantina, ou que nela atuam, no que se refere à sua saúde, subsistência, formação integral, realização pessoal na vocação e no exercício de seus ministério, promovendo a Fraternidade Presbiteral.

 

A Pastoral Presbiteral deve ser compreendida numa perspectiva teológica, pois o seu fundamento é, antes de tudo, a sacramentalidade do ministério - a comunhão de ordenação e missão (cf. LG 28§3). Portanto, ela se afirma em vista da missão, da colegialidade ministerial ou da "forma comunitária" do ministério ordenado (cf. PdV 17) e da co-responsabilidade que deve existir no inteiro povo de Deus.

 

Colaboração: Pe. Renato Magalhães Diniz Filho

paroquia_home.jpg (45331 bytes)